Quem Somos Produtos e Serviços Cases Clientes Artigos Galeria de Eventos Fale Conosco

artigos

artigo19

 

FINAL DE ANO OU ANO NOVO ?
J.A.Nobre

Quando se aproxima o final de cada ano, as pessoas de um modo geral entram num “frisson” por vários motivos.
São muitos e de toda a sorte os questionamentos. Eis alguns exemplos em nível pessoal:

- Que presente devo dar para ...?
- Onde vou passar o Natal? E o Ano Novo?
- Qual a ceia vou servir? Que roupa (e inclusive a cor) devo vestir?
- Onde devo passar minhas férias?

Quanto ao nível profissional e empresarial:

- Que devo fazer para “bombar” minhas vendas neste fim-de-ano?
- Quais produtos vão ter melhor aceitação no mercado?
- Como devo agir para persuadir meus clientes a aumentarem seus estoques?
Afora os questionamentos, ocorrem as promessas:

- Vou comprar um carro novo!
- Vou trocar de apartamento!
- Vou trocar de emprego!
- Vou casar! Vou me separar!
- Vou ganhar mais dinheiro! Vou aumentar o faturamento da minha empresa!

Questionamentos, promessas... porém quem verdadeiramente dá respostas concretas e/ou cumpre as promessas?

Acredito que é muito coerente dizer que vivemos por impulsos ou por motivos.
Ano após ano nos repetimos “n” desejos que nem sempre cumprimos.

Existem períodos que são mais propícios para atuar em determinadas atividades, quando o produto que oferecemos está inserido num contexto de sazonalidade. Entretanto, até que ponto a sazonalidade existe em nós? Ou ainda, ela não é produto da nossa conformação diante de dificuldades?

Em alguns lugares e regiões a partir do dia 25 de Dezembro tudo pára e, em muitos casos, só há um recomeço, às vezes timidamente, a partir de Março do ano seguinte.

Muitos profissionais aceitam essa situação passivamente, afinal ... “não há nada a fazer!”

Ainda bem que outros não aceitam tão facilmente essas auto-imposições. Ou seja, entendem que as dificuldades existem, porém que sempre é possível reverter quadros, muitas vezes, praticamente irreversíveis.

- Como fazer???

Evidentemente que a palavra chave chama-se PLANEJAMENTO, porém de nada adianta planejar, se não houver AÇÃO.

Costumo definir vender como: “VENDER É A COMBINAÇÃO DE VISÃO, PLANEJAMENTO E AÇÃO”, e estou plenamente convencido que esta definição se aplica a praticamente todos os campos, basta substituir a palavra VENDER por SUCESSO, CRESCIMENTO, DESENVOLVIMENTO e uma infinidade de outros termos, que representam objetivos a serem atingidos.

Para planejar, com certeza, é fundamental elaborar uma série de questionamentos, responder de forma pluralizada cada uma das questões, até porque não existe uma única resposta certa em situações de incertezas. A partir daí, elaborar planos, preferencialmente, detalhados e colocar em prática.

Para conformistas... “isso não vai dar certo!”
Para profissionais que acreditam em si mesmos, certamente é entendido como uma oportunidade para crescer e concretizar novos negócios, conquistar novos espaços, buscar outros segmentos.

Bem, o final do ano está se aproximando, devemos esperar a sua chegada, ou programar o novo ano, o próximo mês, a próxima semana ou o dia de amanhã?

Ou melhor, nada de esperar! Começar a empregar todos os conhecimentos que possuímos, elaborar planejamentos para minimizar e/ou eliminar todas as dificuldades impostas pelo mercado e principalmente, por nós mesmos e AGIR.

Revisar nossos conhecimentos e habilidades, nossos produtos e serviços, nossos contatos e fundamentalmente, estabelecer um foco que nos leve ao encontro de novas conquistas, baseados na mais profunda determinação.

Com certeza, não apenas o fim-de-ano e o ano novo estão chegando, mas sim, novos tempos estão à espera de profissionais que entendam que dinamismo é sinônimo de mudança contínua.
E então, o que você vai fazer para o final do ano ou para o novo ano que inicia amanhã?





 
© Copyright 2006, J.A. Nobre Consultores Associados
Webdesign by Webbureau